identificação de cogus em Rennes

Estamos no meio do outono, um dos melhores momentos para ir atrás de cogumelos na floresta. No último sábado (02/10), aproveitamos uma carona para ir até a floresta mais próxima daqui, a Forêt Domaniale de Rennes, na cidade de Liffré.

Geralmente os melhores dias para fazer isso é no primeiro dia de sol após uns dias de chuvas. A umidade e o calorzinho do sol faz com que os cogumelos brotem. Tem o fator da lua também, mas sobre isso ainda não li o bastante. Porém, esse último sábado não estava dos melhores. Havia chovido durante a semana, mas o sol não saiu direito e logo no começo da tarde a chuva voltou. Chegamos na floresta já sem sol e bem molhada. Como havia bastante folhas no solo não tivemos problemas com lama.

Então fomos atrás dos Bolets, um tipo de cogumelo que já haviam nos informado que era o mais fácil de encontrar nesta floresta e que era seguramente comestível. Não tirei fotos lá e na mesma noite já devoramos tudo num jantar entre amigos. Por isso vou usar um link da internet pra mostrar qualé desse cogumelo. Essa cor esverdeada é meio estranha, mas é assim mesmo. Depois que cozinha fica só marrom. Bom, como não era um dia ideal, conseguimos alguns poucos e a maioria já estava detonada, mas usamos mesmo assim.

Dos outros cogumelos que encontramos por lá, a maioria ninguém sabia dizer qual era comestível ou não. Resolvemos pegar tudo pra fazer uma pesquisa em casa. Assim da próxima vez que formos na floresta já vamos saber quais pegar. Depois de um bom tempo jogando as características no google, conseguimos identificar alguns tipos, que se encontram na imagem a baixo.

congus-rennes

Como levamos dois dias para encerrar a pesquisa, quando tirei essa foto a maioria já tinha perdido a aparência fresca, alguns desbotaram, outros escureceram…
Por isso peguei a foto que tirei no mesmo dia da coleta com todos os cogumelos juntos e destaquei os que conseguimos identificar.

0788selected

Destes descobrimos que alguns podem cair mal no estômago, como o “Russula emetica” (o vermelhinho), e outros que supostamente podem até matar, como o “Cortinarius orellanus” (o laranja de baixo).

Como comestível dá para destacar o “Laccaria amethystina” (roxinhos a esquerda) e o “Chalciporus piperatus” (o terceiro da linha superior) que tem como característica um sabor apimentado.

Outro importante é o “Piptoporus betulinus” (canto superior direito), que apesar de não ser recomendado para a alimentação, têm propriedades farmacêuticas, servindo como antibacteriano, anti-diarreico, anti-inflamatório.

Bom, como a maioria acabou envelhecendo não pudemos aproveitar suas utilidades. Ao menos agora já estamos um pouco mais preparados para a próxima coleta de cogumelos :)

Anúncios

2 pensamentos sobre “identificação de cogus em Rennes

  1. Vc conseguiu descobrir qual é desse roxo grande, o terceiro da fileira debaixo? me chamou mais atenção esse! Parece bonito, mas acho que não tenho coragem de comer nenhum até pq laranja debaixo e o laranja de cima pra mim são super parecidos e um deles é fatal! hahaha vc achou pelas florestas algum cogumelo que pareça aquele que o oriel achou aqui no br que soltava tinta escura? beeijos, cê

  2. pois então cê, esse de chapéu roxo/vinho é de uma família que nenhum é letal. só que achei bem difícil de diferenciar, pois tem vários dessa família que são parecidos. aí alguns diz que é amargo, outros são meia boca e tem um que diz que é excelente. da próxima vez vou tentar provar, aí descubro qual é hahah
    poo tu lembra daquele do oriel? era muito lindo, ainda não encontrei por aqui haha

diga

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s