ah o Mediterrâneo… sempre salvando nosso verão.

O verão está quase acabando na europa, e finalmente conseguimos tirar duas semanas de férias neste mês de agosto.

Porém aproveitar o verão no oeste da França não é fácil. A Bretagne é o estado da França com a maior faixa litorânea, cercado por água no norte, sul, e oeste. Seria o lugar perfeito para curtir uma praia. O problema é que o clima não ajuda nada.Durante o verão são raros os dias que a temperatura passa os 25 graus, além das águas geladas e dos ventos. Tolerável pra quem vive aqui, mas não pra gente que fica na espera de um verão tropical.

Solução mais próxima: sul da França, mas nada melhor que conhecer um país novo. Então, um pouquinho mais abaixo chegamos à Catalunya!

Mais de 1000 km pela frente, a ideia foi fazer a viagem por partes. Mas programar viagem encima da hora sai caro. Também não tínhamos tempo suficiente pra nos aventurar pedindo carona na estrada. A opção mais em conta nessas horas é a “covoiturage” (carona paga). Tem um site onde a galera que viaja de carro anuncia as vagas que tem em seus carros, elas propõe um trajeto e quem se interessa reserva, e marca um lugar de “embarque” e “desembarque”. E funciona mesmo encima da hora.

De malas feitas, saímos de Rennes meia noite. Dormimos a noite inteira no carro e chegamos perto das 8h00 em Narbonne, no sul da França. Nossa próxima carona ia sair de lá as 18h00. Tínhamos 1 dia para um rolê na cidade.

Catedral que nunca foi acabada. Em estilo gótico, começou a ser construída no século XIII.

Catedral que nunca foi acabada. Em estilo gótico, começou a ser construída no século XIII.

Dando uma volta pelo centro, conhecemos a cidade rapidamente. Ainda assim, o tempo era apertado, e pegamos um ônibus para ver a praia. Nada de muito especial e nem estava quente o bastante para querer entrar na água. Partimos então para Barcelona. Nosso sonho de verão.

Chegamos em Barcelona umas 21h00 e passamos a primeira noite no albergue de jovens. No dia seguinte demos umas voltas sem rumo pela cidade antes de ir para o acampamento na cidade vizinha de Gavà.

Nem preciso dizer que a cidade é linda, só a praia do centro mesmo que não é das melhores, no estilo praia urbana. Não é a toa que escolhemos um acampamento de frente pro mar, pelas redondezas de Barcelona. Enfim, terminando o dia, fomos pra Gavà. Chegamos no acampamento já de noite, e na escuridão ficamos um bom tempo quebrando a cabeça até conseguir montar nossa barraca. Abaixo, registro pós momento tenso.

Longe da cidade, sem computador, sem celular (até pq o do ori foi roubado lá haha), resumindo, só com o básico, tudo pra poder relaxar.

IMG_3713ccc cópia

Ah e que gostosos foram esses dias, dormindo juntinhos na barrada, abrindo ela demanhã e vendo o sol brilhar acima das árvores, indo pra praia e tomando uma cervejinha gelada na areia.

Bom, mas uma hora a gente tinha que lembrar que estávamos do lado de Barcelona e que era hora de um rolê urbano.

Continuando à toa pelas rua de Barcelona, sem querer esbarramos num restaurante vegan, o Veggie Garden. Não pensamos duas vezes e acabamos almoçando ali mesmo, entrada+prato+sobremesa+vinho saiu por € 8,50. Nada mal. E depois, mais umas voltas pelo bairro gótico, não entramos em quase nenhum ponto turístico, pois tudo era pago e caro. No fim da tarde subimos o morrão do bairro Gràcia, um dos mais legais de Barcelona, pra então chegar no parque Güell, mais um pico pra turista rico. Soube que antes as paradas não eram pagas, e não sei porque agora tá rolando isso. Por todas as entradas do parque era possível ver mensagens de boicote ao local, que antes era aberto à todos e agora só serve à uma pequena parcela burguesa. Do alto do morro, a vista da cidade. Encostado ao morro o teto de um squat representando a resistência local.

De volta ao nosso cantinho calmo, no dia seguinte fomos pro centrinho da cidade de Gavà. Batemos um rango numa lanchonete de empadas artesanais. Não deu pra resistir quando passei em frente e vi o senhor amassando a massa fresquinha. Pra terminar o dia, mais praia!

Último dia em Barcelona foi ao lado de uma agradável companhia. A Giulia foi uma colega de faculdade que está vivendo em Barcelona no momento. Nos levou pra comer tapas deliciosas, dar rolezinho no parque da Ciutadella, passando na praia de barceloneta e terminando no bairro Gràcia, a parte mais surpreendente do dia. Tivemos a sorte de estar lá bem no final de semana que começa a Festa Major, a festa popular mais importante de Barcelona e que acontece pelas ruas do bairro. Porém, tivemos o azar de partir bem na véspera da festa que inicia oficialmente 15 de agosto, feriado religioso. Ao menos, pudemos ter um gostinho do que acontece durante a festa. Todo ano as ruas são decoradas com materiais reciclados pelos próprios moradores, conseguimos ver algumas montagens e o pessoal trabalhando super empenhados. Na sorte ainda conseguimos ver uma demonstração de Castells, o castelo humano, que é uma manifestação bem tradicional na Catalunya.

Por fim, às 4 da manhã pegamos nossa penúltima carona de volta pra casa, chegando meio dia em La Rochelle (sudoeste da França), onde passamos uma noite na casa de nosso amigo Ruy. Cidade portuária e muito bonita, mas totalmente lotada de turistas. Ainda quero voltar lá pra curtir as paisagens.

Enfim, as férias acabaram e agora de volta ao trabalho.

Anúncios

diga

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s